Centro De Infância, Velhice e Acção Social da Senhora da Hora

CENTRO DE INFÂNCIA, VELHICE
E ACÇÃO SOCIAL DA SENHORA DA HORA

Desde Maio de 1990

Entende-se, por Creche Familiar, um conjunto de amas, não inferior a 12 nem superior a 20, que residam na mesma zona geográfica e que estejam enquadradas, técnica e financeiramente, pelos Centros Regionais de Segurança Social, Santa Casa da Misericórdia ou Instituições Particulares de Solidariedade Social, com atividades no âmbito da 1.ª e 2.ª infância. Em 1980 surgem, em Custóias, Matosinhos, as primeiras amas enquadradas pela Segurança Social.
O Programa foi-se estendendo a outras freguesias e, em 1990, o CIVAS foi convidado a enquadrar institucionalmente estas amas através de um Acordo de Cooperação com a Segurança Social para 16 amas e 64 crianças, surgindo, assim, a Creche Familiar de Matosinhos.
As amas são selecionadas por técnicos da Segurança Social e/ou do CIVAS (Educadoras, assistentes sociais, psicólogas) e são preparadas para que, na sua própria habitação, possam cuidar de crianças, por um período de tempo correspondente ao trabalho ou impedimento dos pais.

É, desta forma, um serviço prestado por amas devidamente formadas para essa função e licenciadas pelo Centro Distrital de Segurança Social, acolhendo cada uma, no máximo 4 crianças. Neste momento a dimensão da Creche Familiar abrange 12 amas, distribuídas pelas diversas freguesias de Matosinhos. Recebem 48 crianças, com idades compreendidas entre os 4 meses e os 3 anos e trabalham sob a orientação de uma educadora de infância que supervisiona e acompanha a sua ação. Com este Programa, pretende-se que as amas da creche familiar se distingam das amas particulares e que possam oferecer um serviço mais qualificado, constituindo uma boa alternativa às creches convencionais. É uma resposta social menos institucionalizada, mais flexível, em que os cuidados prestados são mais individualizados, valorizando a importância de um ambiente familiar no desenvolvimento da criança.
O CIVAS, enquanto instituição de enquadramento, assegura a admissão de crianças, o pagamento da remuneração das amas e do subsídio de alimentação das crianças, o fornecimento de equipamento e material didático necessário ao acolhimento das mesmas, bem como o respetivo apoio técnico-pedagógico.

Objetivos

  • Garantir um bom nível qualitativo da sua atividade prestando às crianças os cuidados necessários, em ambiente familiar, de modo a assegurar-lhes a satisfação das suas necessidades físicas, emocionais, sociais e cognitivas;
  • Colaborar na manutenção da saúde de cada criança e do grupo que lhe está confiado.
  • Colaborar com as famílias das crianças de modo a que os cuidados que lhe são prestados, constituam uma continuidade dos cuidados familiares.

Atividades

O trabalho desenvolvido pela ama visa não só a satisfação das necessidades básicas de alimentação, higiene, repouso e segurança, mas igualmente a realização de atividades lúdico-pedagógicas, indispensáveis para o desenvolvimento global e harmonioso da criança. Diariamente, através de experiências novas e diversificadas, num ambiente familiar favorável e tendo em conta as caraterísticas específicas das crianças durante os seus primeiros anos de vida, as amas em colaboração com a Educadora, asseguram um bom desenvolvimento físico, sócio afetivo e cognitivo, através de: atividades de expressão plástica, rasgagem/colagem, pinturas com pé, mão, pincel, dedo e utensílios variados, desenho livre, modelagem, danças, jogos lúdicos espontâneos, Jogos de movimento corporal livre, puzzles, Jogos de encaixe, construções com legos, exploração de livros, canções, histórias, lengalengas, comemoração de datas festivas (em conjunto com o infantário).